•   Teresina - PI, 17/01/2018.
  • (86) 3305-4831
Oferecimento:
  Notícias
  Entretenimento
  Mulher
  Colunistas
  Mídias
  Clima
Os efeitos silenciosos da hipertensão
 Postado em: 11/07/2017 às 13h31
Os efeitos silenciosos da hipertensão


 A hipertensão arterial é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares. Trata-se de uma doença silenciosa e assintomática na maioria dos casos. Sintomas como dor de cabeça, dor na nuca, náuseas, tonturas e falta de ar são frequentemente associados a essa condição, mas podem estar relacionados a outras doenças associadas. No Brasil, cerca de 30% dos pacientes apresentam elevação da pressão arterial e o número de pessoas diagnosticadas cresceu em quase 15% nos últimos dez anos, segundo dados do Ministério da Saúde. O tratamento inadequado pode levar a complicações cardiovasculares e a redução na expectativa de vida.

 

A elevação da pressão arterial causa alterações nos principais órgãos – coração, cérebro, olhos e rins – e nas artérias que os irrigam. Assim, o hipertenso sem tratamento está sujeito a sofrer uma série de consequências, como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, aneurisma, insuficiência cardíaca, insuficiência renal, alterações visuais, impotência sexual e até demência.

 

“Como medida de prevenção, em pessoas que não são hipertensas, é importante a aferição da pressão arterial, por um profissional de saúde, pelo menos uma vez ao ano. Quando o paciente é hipertenso, a frequência da medida depende do valor da pressão e do risco de cada caso. O valor ideal para a redução do risco cardiovascular é de 120 por 80, ou menos. Quando superior, principalmente se isso ocorre com frequência, é importante procurar um médico. Por não apresentarem sintomas, muitos hipertensos só o fazem quando já ocorreu repercussão sobre algum órgão”, afirma o cardiologista Thiago Macedo, do Hospital TotalCor.

 

Mesmo quando o paciente não apresenta sintomas, o tratamento da hipertensão deve ser feito de forma contínua e com acompanhamento médico periódico, o que reduz consideravelmente o risco cardiovascular. Na consulta, o profissional pode avaliar se há necessidade de ajustes na medicação e pode fornecer orientações sobre alimentação e prática de exercícios físicos, assim como solicitar exames para verificar a evolução clínica.

 


Comentar pelo facebook:
/ Outras matérias relacionadas:
BLOG DA VIVI
ENTRETENIMENTO

Xuxa não renova contrato e futuro na Record é incerto
Segredo
Anitta tem casamento com cerimônia celebrada por pajé
GALERIA DE EVENTOS

Réveillon no Theresina Hall

Moda, música e campanha social marcam a primeira noite do Teresina Trend
NOTÍCIAS
MULHER
COLUNISTAS
ENTRETENIMENTO
PARCEIROS
OUTRAS PÁGINAS
© Copyright 2015/2018. www.blogdavivi.com.br - Teresina-PI. Todos os direitos reservados.